Aquecer ou não aquecer antes da musculação?

    
 
Sim! Exercícios de aquecimento são muito importantes. São eles que prepararam o corpo para o esforço que a atividade física exige. Além disso, otimizam o desempenho em treinos de alta intensidade, de força e de potência muscular.

Os benefícios do aquecimento estão relacionados a processos fisiológicos que ocorrem com o aumento da temperatura corporal e, também, com o aumento do fluxo sanguíneo e do consumo de oxigênio para a musculatura.

Por isso, sua prática é indispensável ao treinamento.

Quer mais dicas sobre o assunto? Converse conosco.

Felipe Sampaio, personal Salus




Melhore seus resultados na musculação

    
 
A malhação não está dando o resultado que você queria? Pode ser que o seu treino não esteja correto.

Veja, nas dicas abaixo, se você está fazendo tudo direitinho:

- Treine, no mínimo, 2 vezes por semana cada grupo muscular, em dias separados.
   Por exemplo: segundas e quintas, pernas; terças e sextas, peito; e assim por diante
 - Para ganhar força, faça 3 a 4 séries de 4 a 5 repetições
- Já para aumentar a massa muscular, pegue mais pesado e faça 3 a 4 séries de 8 a 12 repetições
- Quanto à intensidade do treino, use carga máxima para o total de repetições estipulado
- E saia da mesmice! Varie os métodos de treino, assim o músculo terá diversos tipos de estímulos

Ah, muito importante! Cuidado na hora de fazer os movimentos. É preciso executá-los com amplitude total, sem trancos, para não machucar as articulações, hein?

Quer mais dicas para turbinar seu treino? Fale conosco.

Felipe Sampaio, personal Salus


O que vem primeiro: a corrida ou a malhação?

    

Taí uma dúvida cruel! Você vai para a academia, a fim de fazer esteira e musculação. Chega lá e não sabe qual atividade deve vir primeiro.

Se você deseja apenas um aquecimento para elevar a temperatura corporal, realize 10 minutos de esteira, antes da sessão de musculação.

Agora, se a ideia é fazer um trabalho aeróbio de 30 a 45 minutos, então... Bom, então, tanto faz! Não há nenhum estudo científico que diga ser melhor fazer a esteira antes ou depois. O importante mesmo é fazer e pronto!

Mas, se quiser uma dica, aqui vai: realize primeiro a atividade que você tem mais dificuldade. Assim, estará com mais energia para realizá-la.

Felipe Sampaio, personal Salus


Treinamento de alta intensidade

    

Já ouviu falar do “high-intensity interval training” (HIIT)?

Esse tipo de treinamento tem sido cada vez mais procurado por quem quer perder gordura corporal, em especial as mulheres.

O HIIT consiste em realizar exercícios como correr, pedalar ou saltitar em alta intensidade, ou na máxima intensidade possível, com intervalos de pausa para que o organismo se recupere para a próxima sequência.

Então, primeiro vêm os períodos curtos de esforço em alta intensidade, depois os de pausa. Aqui, as atividades podem ser realizadas em baixa ou moderada intensidade (ativa) ou em repouso (passiva).

Segundo pesquisas, essa forma de treino pode ser mais eficiente porque promove gasto calórico superior ao de exercícios contínuos de moderada intensidade. A longo prazo, a perda de gordura corporal é maior do que numa atividade comum.

Mas lembre-se: o HIIT (assim como qualquer exercício), precisa ser orientado por quem entende do assunto. Converse com a Salus para que nossos profissionais especializados montem um plano de treino seguro e que atenda os seus objetivos.

Felipe Sampaio, personal Salus


Cheguei aos 30 anos. E agora, metabolismo?

    
 
Grande parte das mulheres que completa 30 anos de idade enfrenta dificuldades para manter o peso e/ou emagrecer.

É o curso natural da fisiologia feminina. Por isso, nada de pânico! Mesmo sendo um fator inevitável da idade, dá para manter a forma na fase balzaquiana.

A solução é apostar no binômio “alimentação saudável + atividade física”. Traduzindo: abandone o sedentarismo e adote uma rotina alimentar saudável e equilibrada.

Os benefícios serão inúmeros, como prevenção da obesidade, do diabetes e da hipertensão; aumento da expectativa e qualidade de vida; melhora do humor, da autoestima e da disposição; perda e manutenção do peso.

Praticar uma atividade física, regularmente, previne a perda de massa óssea e muscular, melhora a capacidade cardiorrespiratória, fortalece os músculos e protege as articulações.

Se você alia seus treinos a uma alimentação saudável e equilibrada, então, terá sucesso na certa!

Quer algumas dicas para ter um corpinho de dar inveja a muitas mocinhas? Acesse: fesampaio.

Felipe Sampaio, personal Salus


Dieta hipocalórica e perda de peso

    

Gosta de matemática? Sabia que ela também ajuda a perder ou ganhar peso? Basta fazer uma conta simples, calcular a diferença entre as calorias que você consome e as que gasta. Você terá dois resultados: consumo maior do que o gasto é igual a ganho de peso; consumo menor do que o gasto é igual à perda de peso.

Por isso, muitas pessoas que desejam emagrecer aderem a dietas hipocalóricas, ou seja, de baixa caloria. Mas é preciso tomar cuidado, porque a perda de peso, nem sempre, resulta em aumento da massa muscular ou na diminuição da gordura corporal. Não se pode levar em consideração apenas o valor calórico do que se coloca no prato. É preciso fazer a composição nutricional correta, distribuindo bem os nutrientes entre as refeições, além de ingerir os alimentos nos horários certos.

Portanto, antes de iniciar um regime, procure um nutricionista para receber orientações sobre a dieta mais adequada para você. Esse profissional vai analisar uma série de fatores, como sua taxa metabólica, nível de atividade física, seu porcentual de gordura e de massa magra, preferências e restrições alimentares.

Não coloque a sua saúde em risco, fazendo uma dieta por conta própria. Isso pode levar à perda excessiva de tecidos musculares, causando fadiga, perda de peso muito rápida, com consequente ganho novamente, e deficiência alimentar.

O Programa Salus conta com profissionais especializados para te ajudar a perder peso de forma saudável e segura. Fale conosco.

Felipe Sampaio, personal Salus


Dor tardia por exercício

    

Sabe aquela dorzinha que você sente, um dia ou dois depois de ter feito exercício físico intenso? Ela é chamada de “dor muscular tardia”.

Muitos leigos no assunto dizem que ela é causada pelo acúmulo de ácido lático no organismo. Mas a afirmação é incorreta. Na verdade, essas dores são microlesões que ocorreram no músculo durante a prática da atividade.

São machucados e inflamações que o próprio corpo vai reparar quando estiver descansado. O processo se dá por meio dos hormônios anabólicos e pela alimentação.

Por isso é tão importante uma pausa entre um treino e outro e uma alimentação adequada. Para saber mais sobre esse assunto, acesse: Fe Sampaio

Felipe Sampaio, personal Salus